Opinião

Moda anti-vacinas é chorar de barriga cheia

Comments (1)
  1. Costa says:

    A seguinte informação sobre as reacções adversas à vacina tripla do Tétano, Difteria e Tosse Convulsa da marca TRIAXIS aprovada pelo Infarmed em 21-02-2014 encontra-se no seguinte documento do Infarmed, página 5: http://app7.infarmed.pt/infomed/download_ficheiro.php?med_id=50379&tipo_doc=fi

    “… a frequência destes efeitos adversos não pode ser calculada com precisão, uma vez que seria calculada
    com base em notificações espontâneas, em relação ao número estimado de pessoas vacinadas.”

    “…Reações alérgicas/reações alérgicas graves (como pode reconhecer uma reação destas, pode encontrar esta informação no início da secção 4), picadas, formigueiro ou dormência, paralisia de parte ou de todo o corpo (síndrome de Guillain-Barré),
    inflamação dos nervos do braço (neurite braquial), perda da função do nervo que sustenta os músculos faciais (paralisia facial), convulsões, desmaio, inflamação da espinal medula (mielite), inflamação da parte muscular do coração (miocardite), comichão, urticária, inflamação de um músculo (miosite), inchaço extenso do membro, associado a vermelhidão, calor, sensibilidade ou dor no local onde a vacina foi administrada, nódoa negra ou abcesso no local onde a vacina foi administrada…”

    A hipótese de termos como efeito adverso uma paralisia (Guillian-Barré) não deve ser levada de ânimo leve.
    Não acho que as vacinas devam ser obrigatórias, mas sim ser dada esta informação para que as pessoas façam uma decisão consciente dos benefícios/riscos.
    Há outra coisa a ter em conta, uma pessoa que aceite levar uma vacina, estará à partida consciente dos riscos (pois estão escritos na bula) e a farmacêutica limpa as mãos de qualquer responsabilidade…

    De quem será a responsabilidade QUANDO acontecer um destes efeitos “raros”?

    Acho que não chega apenas criticar as decisões de outras pessoas, é preciso que surjam alternativas viáveis e seguras para todos e que se considerem as várias consequências dessas alternativas (seja a obrigar a vacinar ou não).

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Geringonça

© Geringonça 2016