Breves

“Copos e mulheres”: Multiplicam-se as vozes a pedir a demissão de Dijsselbloem

jeroen
Comments (4)
  1. puches says:

    Não deve haver problema. Entre o Goldman e Sachs e o Deutsche Bank algo se irá arranjar para o moço.

    ( good boy, good boy)

  2. manuel guimarães says:

    deve estar a preparar o “texto” (onde inevitavelmente entra Portugal), aquela iminência parda que o tutela, o senhor Schauble

  3. PAULO SANTOS says:

    Posso estar enganado, mas não é na Holanda que se gastam milhares (ou milhões) em mulheres que se apresentam em montras de lojas ? E não é na Alemanha onde se bebem milhões de copos de cerveja ? Utilizando a linguagem que o indivíduo utilizou, devia estar bêbedo e a saír dum bordel quando se lhe iluminou o cérebro para fazer um comentário desses… Parece que a azia está a custar a passar. Haja um médico que lhe receite Kompensan (não pode ser Rennie porque o nome é demasiado latino).

  4. Kevin Oliveira says:

    A ajuda dada é benefício para ambos. A curto prazo para o país ajudado, a longo prazo para quem ajuda que recebe bons juros. Já a Alemanha recebeu perdões de dívida após uma segunda guerra mundial. Isto sim é ajuda. Como seria ajuda também ajudar os países a serem mais sustentáveis e independentes. Se é fomentada a dependência do sul da Europa em relação ao norte, se o sul aumenta a riqueza do Norte, qual é mesmo a ajuda quando depois o norte empresta e cobra juros? É isto uma união europeia?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Geringonça

© Geringonça 2016