Opinião

Confessa, Assunção: o teu problema é a laicidade, certo?

Comments (3)
  1. Efeeme says:

    Ora cá está um excelente texto que cristas não gostaria de ler.
    Mas vai ler, vai,vai, porque o início é de tal forma empolgante que, mesmo sem vontade, vai por aí fora até ao seu final e, depois já de cabeça fria, vai dizer : “isto é tudo verdade”.
    Só depois vai ver quem assinou.
    Ah, pois,claro, tinha de ser, estou tramada!!
    Vou virar-me novamente para o Coelho.

  2. JORGE SILVA says:

    Concordo com a tese, sou dos que, entre os de direita e católicos, defende a posição do Governo. E estava a gostar de ler o seu texto, até me sentir desconfortável – não é de forma inocente que não usei as palavras indignado ou chocado, não posso cometer esse ‘pecado’ em nome do direito à liderdade de expressão – quando fala de «doutrinação abjeta de padronização comportamental de toda uma sociedade».

    Em última análise, o seu esforço para desmascarar, na sua interpretação, as verdadeiras intenções de Assunção Crista faz com que, no ataque, manifeste todos os defeitos que aponta à adversária política. Porque é tão intolerante quem não convive bem com a laicidade, a Constituição, a lei e até o bom senso quanto quem vê na atividade de uma Igreja e na fé de quem nela acredita e nela se sente feliz uma «doutrinação abjeta de padronização comportamental de toda uma sociedade». Voltaire responderia melhor do que eu quando escreveu que não concordando nada com a opinião do adversário, daria a vida para que ele a pudesse expressar.

    Este não é uma questão religiosa e não deve ser discutida nesses termos. Não caia nessa armadilha – eu não caio, sendo católico – até para não dar a ideia de ter assuntos mal resolvidos ao nível da religião ou da fé. O laicismo não é anti-religião. Apenas a deixa de fora da vida pública – e não totalmente, caso contrário tinham mesmo de acabar todos os feriados religiosos, banie as festas de natal nas escolas, etc etc etc – porque na gestão da coisa comum não cabe a religião, apenas garantir que cada um possa professar a sua em liberdade.

    Sabe o que me deu mesmo pena? É que eu estava a preparar-me para lhe bater palmas. Quando a sua argumentação é objetiva, factual, legal e constitucional, consegue ser, muitas vezes, brilhante. Mas como lhe posso bater palmas se se refere à evangelização da minha Igreja, na qual sou também protagonisma, como «abjeta?». Mas o que é que a minha religião tem a ver com a questão das escolas?!! Se outros a usam erradamente, não cai na tentação de responder à letra. Porque corre o risco de incomodar a sensibilidade de quem lhe quer bater palmas. E porque, por ironia, é muito pouco…laico.

  3. Rui dos Santos says:

    JORGE SILVA , por favor…
    Enfim, vou explicar.
    1º Quando menciona –
    “Mas como lhe posso bater palmas se se refere à evangelização da minha Igreja, na qual sou também protagonisma, como «abjeta?». ”
    A resposta a essa questão, é: Laicidade ( http://www.laicidade.org/documentacao/textos-criticos-tematicos-e-de-reflexao/aspl/)
    2º Quando menciona –
    “Mas o que é que a minha religião tem a ver com a questão das escolas?!! ”
    A resposta a essa questão, é: Clero de Braga contesta alterações a contratos de associação

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Geringonça

© Geringonça 2016